Pontos Turísticos de Itapeva

Pontos Turísticos de Itapeva
Rate this post

O interior paulista traz inúmeras atrações que podem e devem ser visitadas. Itapeva conta com atrativos que vão além da natureza maravilhosa de nosso país, as cidades paulistas trazem um pedaço da história do Brasil.

A cidade de Itapeva é localizada perto de Sorocaba, no Sudoeste Paulista, já foi considerada a “capital dos minérios”, mas hoje abriga 90 mil habitantes e uma grande área de reflorestamento.

publicidade

Itapeva

Ela engloba duas tendências de turismo: o ecoturismo e o turismo rural. Essas vertentes turísticas são possíveis pela sua geografia. Itapeva está a 700 metros do nível do mar, em uma área serrana, com araucárias.

publicidade

Itapeva está aos pés da Serra de Paranapiacaba, o que confere à ela um pouco da presença da Mata Atlântica – e, isso é muito importante, já que a Mata Atlântica está ameaçada de extinção. Logo, conhecer a mata e os projetos ambientais, fazem o ecoturismo prosperar, além de cumprir a sua função social.

publicidade

O turismo rural, leva ao homem urbano, o contato com a natureza e com a vida bucólica, esquecida pelo progresso das cidades, isso torna o destino cada vez mais procurado. Interessante como participar do processo de produção constrói um indivíduo pensante e preocupado com a sustentabilidade. Afinal, o turismo tem o seu papel político-social.

Se você prefere as praias, confira aqui os 5 melhores destinos do Nordeste

Itapeva – Pontos Turísticos

Casa do Artesão

Justamente por causa dessa área que o município possui grandes artesões especialistas em esculpir madeira, fazer artesanatos com argila e cestarias de bambus. Além disso, também utilizam as sementes das árvores para criarem belos trabalhos. Grande parte desses belíssimos artesanatos estão expostos na Casa do Artesão dentro do parque Pilão d’Água.

Fazenda Pilão d’Água

            O parque abriga também a fazenda de mesmo nome que possui um grande valor histórico, podendo ser visitado pelas pessoas que se interessam em saber mais como era a vida em São Paulo antes do século XX. A fazenda possui o Casarão e a Senzala, ambos mantidos ainda nos moldes coloniais. Nela o visitante pode ver um pouco da história escravocrata de Itapeva, que foi por muito tempo destaque na produção de algodão e outros atividades agrícolas.

Catedral de Sant’Ana

             Da mesma época que a fazenda Pilão d’Água, há a Catedral de Sant’Ana, ponto turístico de Itapeva. Essa catedral foi construída por 40 escravos em 1785, e é considerada uma das maiores edificações coloniais feitas em taipa de pilão de todo o Brasil. Dedicada à Senhora Sant’Ana, ela possui portas e várias outras partes feitas inteiramente em barro. A catedral Sant’Ana é considerada cartão postal de Itapeva e é um dos pontos turísticos mais visitados da cidade.

Capela do Carmo

            Além da catedral de Sant’Ana, há também um outro ponto turístico ligado ao cristianismo, a Capela do Carmo. Ela foi feita inicialmente em homenagem a Imaculada Conceição pelo bispado de São Paulo no começo do século XIX. Mas, passou a ser chamada de Capela do Carmo pois foi concedida à Nossa Senhora do Carmo posteriormente. Ela foi construída para que o vigário José Custódio do Camargo, figura importante para a cidade na época, pudesse frequentar as missas. Ele, por causa de problemas de locomoção, não conseguia ir até a catedral central.

Memorial do Tropeiro Itapeva

Itapeva ainda conta com outras atrações turísticas da época do Brasil Colonial, como o Memorial ao Tropeiro. No colonialismo, existiram os tropeiros, comerciantes de mulas, cavalos, carne seca e outros alimentos. Um pouco como os bandeirantes, os tropeiros abriam estradas e fundavam várias cidades e vilas por onde passavam, criando feiras comerciais e trazendo desenvolvimento a locais não muito habitados. Itupeva fez parte do circuito dos tropeiros e abriga hoje o Memorial ao Tropeiro, uma homenagem a cultura e a tradição tropeira.

Cachoeiras e Rios de Itapeva

Itapeva

Itapeva

              Mas, nem só de história vive o turismo de Itupeva, a cidade ainda conta com 45 cachoeiras para todos os gostos. Com tamanhos que variam de 2 a 50 metros de alturas, as cachoeiras são ótimas para os turistas que adoram uma aventura, como a Cachoeira do Saltinho e a Cachoeira do Alto Brancal. Essa última é propícia para praticantes de rapel, por causa de seus 26 metros de altura, 8 metros de profundidade e seu volume de água reduzido.

Hotel Fazenda São Rafael

Quem é adepto ao cachoeirismo e a esportes radicais, não deve deixar de visitar o Hotel Fazenda São Rafael, localizada a 17 km do centro da cidade. Nela, existem duas cachoeiras próprias para banho. Além das quedas d’água, a fazenda proporciona tudo que um destino aventura pode proporcionar, trilhas de jipe, pesca esportiva e outras atividades radicais. Além de tudo isso, na fazendo há também duas cavernas para se visitar.

Cânion Pirituba – Itapeva

            Um dos grandes atrativos turísticos de Itapeva é o Cânion Pirituba, com uma extensão tão grande que começa na cidade e vai até o estado do Paraná. Nele, há um raro Sítio Geomorfológico feito a partir de um deposito glacial marinho. Para acessar essa incrível atração, é possível realizar três tipos de roteiros (com níveis de leve a intenso), todos feitos através de uma empresa especializada em ecoturismo. Todos esses roteiros contam com passeios onde é possível observar os imensos paredões de 120 metros de altura e mergulhar em riachos e cristalinas piscinas naturais, cheias de cachoeiras para os visitantes se banharem.

Parque Rupestre da Água Limpa de Itapeva

            Para quem gosta de misturar cultura e aventura, há o parque Rupestre da Água Limpa. Localizada a 14 quilômetros de distância do centro da cidade, a fazenda da “Nona” Zina Fraccaroli possui 90 alqueires de mata nativa. Inserida numa região em que há a transição da Mata Atlântica e do Cerrado, onde há uma mistura incrível e uma enorme biodiversidade, com o melhor dos dois ecossistemas.

            Essa fazenda abriga o oitavo maior cânion do mundo, com 250 km de extensão que margeia o rio Taquari-Guaçu. Nessa região habitaram há mais de 2 mil anos atrás, o povo indígena mais populoso do Brasil, os povos Kaingangs. Nas paredes dos canios é possível observar a arte rupestre desse povo.

            Além disso, há ainda a cachoeira do Sol. Com 30 metros de altura, só é possível acessá-la após 30 minutos de trilha de nível moderado, com partes do percurso passando por dentro d’água, atravessando o riacho. A cachoeira é própria para banho e faz parte do caminho para chegar até a área onde estão as inscrições rupestres.

Veja Também: saiba quais são os melhores hotéis fazenda de São Paulo

publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *